Clique para divulgar
outros desaparecidos

Denuncias


Imagem da Notícia
A Justiça suspendeu Da redação Worldwide por Sérgio Coutiy - Desast

Imagem da Notícia
Os brasileiros não Da redação Worldwide por Sérgio Coutiy - Os bra

Imagem da Notícia
O denominado pacote Da redação Worldwide por Sérgio Coutiy - Algué

Imagem da Notícia
Jornal revela que lu Depois de afirmar que o presidente do Barcelona, S

Imagem da Notícia
Al-Qaeda estuda faze A rede terrorista Al-Qaeda estuda promover um aten

Imagem da Notícia
Brasil pede esclarec O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patr

Imagem da Notícia
Snowden quer ficar e O americano Edward Snowden, que revelou um vasto p

Imagem da Notícia
Prism, utilizado pel Da redação Worldwide, por Sérgio Coutiy. Co

Imagem da Notícia
WikiLeaks editor-che WikiLeaks editor-chefe Julian Assange divulgou o c

República Centro-Africana tem quase 6 mil crianças-soldado, diz ONU


Hoje Domingo, 17 de Dezembro de 2017, boa tarde!

Cerca de 6 mil crianças participam de milícias que estão em combates na República Centro-Africana, revelou nesta sexta-feira, em Genebra, um alto responsável da ONU, denunciando a espiral de violência no país.

Sobre República Centro Africa Publicada: 22/11/2013 as 22:08:24

Um soldado fala com diversas
crianças que combateram mas foram
liberadas por diversos grupos
armados. AFP PHOTO / JORDI
MATAS/UNICEF

Grosso modo, falamos hoje de 5 mil a 6 mil crianças, o que representa quase o dobro de nossa estimativa anterior", que era de 3.500 crianças, afirmou Souleymane Diabate, representante do UNICEF na República Centro-Africana.

A Agência das Nações Unidas para a infância denuncia regularmente a participação de crianças no interior de grupos armados que participam de uma verdadeira guerra civil em um dos países mais pobres do continente africano.

A República Centro-Africana vive no caos depois de um golpe de estado no último mês de março, liderado pela coalizão rebelde Seleka, composta por uma minoria muçulmana, que destituiu o presidente François Bozizé. Um dos líderes da Seleka, Michel Djotodia, se autoproclamou presidente e aceitou organizar eleições no ano que vem.

Nesta sexta-feira, Michel Djotodia anunciou que um toque de recolher pode voltar a ser instaurado na capital Bangui, palco de uma explosão de violência.

Situação grave

A população do país é composta por 80% de cristãos e de uma minoria muçulmana. A República Centro-Africana convive desde então com os confrontos entre as duas comunidades religiosas, de grupos de "auto-defesa" contra os ex-rebeldes do Seleka.

"A situação que nós vivemos na República Centro-Africana é muito, muito grave", insistiu Diabate que fez um apelo para uma mobilização da comunidade internacional para por fim à guerra civil.

Apesar de ser um dos países mais pobres do planeta, a República Centro-Africana tem imensas reservas de ouro, diamante e urânio no subsolo, mas atravessa uma grande crise humanitária.

Segundo a ONU, cerca de 4,6 milhões de pessoas são afetadas pela crise. A metade da população é composta por menores de 18 anos. Países africanos já enviaram 2.500 soldados ao país, e esse contingente deve ser reforçado até atingir 4.500 homens.

Mesmo assim, especialistas consideram que é insuficiente para por fim ao conflito e que as Nações Unidas deveriam enviar os "capacetes azuis" para tirar a República Centro-Africana do caos.

Nesta quinta-feira, o chanceler francês Laurent Fabius alertou que o país está "à beira de um genocídio.


Veja mais: Português RFI

Publicada: 22/11/2013 as 22:08:24

Você pode comentar. Ainda não existe comentário para está notícia.


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Fique a vontade para comentar.Veja Diretrises de privacidade!

Deixe seu comentário sobre o assunto!