Clique para divulgar
outros desaparecidos

Curiosidades


Imagem da Notícia
Bebê intitulado de Aos 80 anos, Hessy Taft revelou sua origem para o

Imagem da Notícia
Congresso homenageia Ao comentar, hoje (25), a atual política econômi

Imagem da Notícia
Mapa interativo onli O mapa online coleta dados desde 2000, o que signi

Imagem da Notícia
Edward Snowden faz p O grupo WikiLeaks divulgou nesta quinta-feira (10)

Imagem da Notícia
Japão interrompe at O Japão iniciou neste domingo os procedimentos pa

Imagem da Notícia
William e Kate anunc George era a opção de nome mais cotada nas casas

Imagem da Notícia
Presidente russo Vla O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e a sua e

Imagem da Notícia
Homem mais rico do m Qual nome vem à sua cabeça quando você pensa no

Imagem da Notícia
Mandela tem infecç Do R7, com agências internacionais O ex-presid

Mulher é encontrada com vida 17 dias após desabamento em Bangladesh

redacao@worldwide.com.br
Hoje Domingo, 21 de Janeiro de 2018, bom dia!

Identificada pela mídia local como Reshma, ela foi colocada em uma maca. Desmoronamento de prédio deixou mais de mil mortos.

Sobre Bangladesh Publicada: 10/05/2013 as 09:12:21

Equipe de resgate auxilia retirada
da sobrevivente após 17 dias sob
os escombros do prédio
desmoronado, em Bangladesh (Foto:
Parvez Ahmad Rony/AP)

Funcionários que trabalham no resgate de vítimas do desabamento que deixou mais de mil mortos em Bangladesh disseram ter encontrado uma mulher viva, 17 dias depois do incidente, nesta sexta-feira (10). Oficiais do Exército ordenaram a parada de escavadeiras e guindastes enquanto tentavam retirar a mulher dos escombros. Segundo a agência France Presse, a operação de salvamento foi exibida ao vivo pela televisão local.
Equipes de resgate usaram uma serra manual e equipamentos de solda e de perfuração para tentar eliminar a barra de ferro e os detritos que a prendiam. Eles pediram um cilindro pequeno de oxigênio para ser levado até ela.
A mulher, identificada pela mídia de Bangladesh apenas como Reshma, foi mostrada em uma maca e sendo carregada a uma ambulância, recebendo uma máscara de oxigênio.

Segundo a agência Associated Press, centenas de pessoas que trabalhavam na remoção de corpos no local do acidente levantaram suas mãos para orar a Allah (Deus dos muçulmanos) pela descoberta da sobrevivente. Um homem disse em um alto-falante: "Allah, você é o melhor, você pode fazer qualquer coisa. Por favor, permita-nos resgatar a sobrevivente encontrada."
Trabalhadores limpam os escombros desde o colapso do edifício onde funcionava uma fábrica têxtil, em 24 de abril. Mais de 2.500 pessoas foram resgatadas no local do desastre. No entanto, não houve sobreviventes encontrados nos destroços desde 28 de abril.
O número de mortos no desastre subiu nesta sexta-feira, com as autoridades confirmando 1.038 pessoas mortas.
Condições de trabalho
O desastre tem questionado as condições de trabalho muitas vezes mortais na indústria do vestuário de Bangladesh, que fornece roupas para grandes varejistas em todo o mundo.
O setor têxtil é fundamental para a economia do país, gerando US$ 29 bilhões de receita ao ano. Em 2012, correspondeu a 80% das exportações do país. Os baixos salários e a abundante mão de obra tornam o segundo maior produtor de roupas do mundo, atrás apenas da China.

Há anos, as ONGs denunciam as péssimas condições de trabalho e as normas de segurança dessa indústria no país. Os incêndios costumam ser frequentes nas cerca de 4.500 confecções de Bangladesh. Em novembro de 2012, pelo menos 111 pessoas morreram em um incêndio em uma empresa têxtil.

Na quarta-feira, o governo de Bangladesh anunciou o fechamento de 18 fábricas têxteis em Dacca e Chittagong, a segunda cidade do país, depois de se comprometer com a Organização Internacional do Trabalho (OIT) a tomar medidas imediatas para reforçar a segurança nas fábricas.

Também na quarta-feira, um grupo de especialistas da ONU pediu às grandes marcas internacionais do setor que não deixem Bangladesh, e sim que cooperem com o governo, com as organizações internacionais e com a sociedade civil para melhorar as condições trabalhistas.


Veja mais: G1

Publicada: 10/05/2013 as 09:12:21

Você pode comentar. Ainda não existe comentário para está notícia.


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Fique a vontade para comentar.Veja Diretrises de privacidade!

Deixe seu comentário sobre o assunto!